sábado, 7 de março de 2015

Um pré conceito chamado Cosputa.

Fala galera e aí?

Ultimamente levei em consideração em expor minha opinião no qual quero permanecer neutra sobre algo que tem cogitado e repercutido no meio cosplay: Cosputa, mas primeiramente disponibilizarei colaborações obtidas de amigos, conhecidos e colegas sobre o significado do que é, ser ou está cosputa ?!




 De acordo com uma boa parte sobre as definições que tive sobre cosputa(o) é nada mais de supostos “Cosplayers” que descaracteriza (Lê se perder de característica/desfazer caracterização), despersonaliza (Lê se Mudar a personalidade/Carácter) de um personagem. Modificando suas vestimentas, encurtando, fazendo uso exagerado de decotes a ponto de mostrar atributos físicos do mesmo, acrescentam que não chega a ser sexy pois se tornam vulgar (Lê se a quem faz uso do  vulgo, do povo, da plebe, dos homens) exagerado.  Mas porque elas fazem isso? Por atenção? Vontade de ser desejada? Porque elas são vazias? Ou porque gostam de ser Objetificadas? Para quem faz cosplays de personagem sexy esse termo não é atribuído, pois há caracterização de um personagem, o cosplayer está sendo fiel ao papel de interpretação, que sua vez não é jugado apenas em concurso com jurados mas o quão a pessoa consegue se aproximar ao personagem.






Mas como popularizou esse tipo de ofensa no meio cosplay? O primeiro caso que ouvi falar sobre cosputa foi em um evento de São Paulo, que ocorreu em 2006/2007 onde meninas menores de idade foram andar vestidas apenas de toalhas, nuas alegando está fazendo cosplay de Hentai (Hentai para quem não sabe é animação japonesa pornô) vendendo selinho e mostrando o que se escondia de baixo da toalha.. Nesse caso as meninas além de fazer “cosplay”  estavam se prostituindo, gerou muita polêmica ao ponto da organização do evento expulsa-las pois, se tratava de um ambiente familiar é elas não tiveram bom senso de se preocupar que houvesse pessoas que se incomodariam ou que tivesse crianças acompanhadas de suas famílias e também que poderiam associar esse tipo de comportamento ao evento.A polêmica dessas meninas permaneceu há anos, até hoje em dia se escuta um zumbindo sobre essa história e como foi repercutida, pois as meninas banalizaram um certo hobby publicamente e ofereceu serviço de prostituição, assim foram taxadas de Cosputa. Houve também algumas asiáticas que faziam filmes pornôs com cosplays e que popularizou bastante na web e outros casos parecidos mundo a fora ...




O Termo real do Cosputa(o) : Cosplayer que se prostitualiza, fazendo cosplay, idependentemente o uso do tamanho da vestimenta, fazendo da artimanha da prostituição é Cosputa. Há uma grande diferença entre as definições dadas acima sobre cosputa (o).




Preconceito Descarado
Bom sobre o primeiro conceito que vimos sobre cosputa(o) e sobre o real conceito, da para notar uma nítida diferença não é? E usam esse termo para ofender, mas porque as pessoas fazem isso? Inveja? Consideram falta de respeito? De pouca noção? Posso dizer que seja tudo isso ou além mais, mas ninguém tem o direito de falar isso, pois não devemos julgar alguém pelo o que ela deixa de vestir, o que tem mais valia é o carácter dela. Ou de ir até a pessoa e falar alguma injúria. Pois não sabemos o porque o cosplayer está caracterizando daquela forma, se é  porque gosta do personagem, se é para chamar atenção por atributos físicos (se for é problema dela), se é porque não conseguiu concluir o cosplay a tempo e fez uma versão alternativa ou que não achasse alguém que ajuda-se na confecção do cosplay e preferiu ir vestida de outra forma? Devemos ter a decência de respeitar o lugar do outro e também saber ter bom senso de saber se vai infligir ambientes familiares porque existem eventos que costumam frequentar crianças e está semi nua pode ser desconfortante para uma família. O que quero dizer e que nem na Holanda onde o governo favoreceu uma lei que poderiam fazer sexo em parques mas que respeitasse os ambientes, horários e as pessoas. É isso que falta, você pode se vestir do jeito que quiser, porém tenha bom senso e atente-se as consequências geradas, pois na internet todos nos somos vulneráveis a receber criticas, ofensas e elogios e cabe a nos levar o rumo das coisas sabiamente. Não podemos dizer que "daquela água não beberei" pois estamos fadados a errar, e as vezes ser pré julgados como fizemos com alguém. Independente do cosplay que você faz, o mais importante de tudo é faze-lo da forma que é conveniente para você, seja profissionalmente, competitivamente ou pelo simples e singelo Hobby. E o que há de errado em ser cosputa? E opção da pessoa escolher o que ela quer e como quer exercer, principalmente o trabalho, não deixa de ser uma forma de se trabalhar.



Cosputa é um termo Machista Opressor, o corpo é meu e eu faço o que eu quiser com ele...
Pode até ser um termo de ofensa Machista, li ha um tempo atrás um publicação de outro blog sobre cosputa a moça que escreveu o post disse que boa parte da utilização dessa ofensa era por causa do machismo enrustido, achei engraçado uma imagem falando sobre comprimento da roupa e sobre o comportamentos dos homens e o que as mulheres querem vestir. Mas um argumento contraditório pois há homens que preferem pouca roupa é o maior público que visualiza os cosplays que são taxados vulgar e sexy são homens, porque a cosplayer faria cosplays vulgar mostrando decotes e pouca roupa? Seria para ser Objetivada? Desejada? Atenção? Ou porque convém com a Subjetividade dela ? A maioria dos comentários que até hoje vi sobre Cosputa foram feitos por boa parte de mulheres. Alias também existem Cosputos e recentemente descobriram um moço que assediava, se ofertava em sentido de prostituição com cosplay de um anime chamado Free, gerou muita polêmica ao ponto de exporem o garoto ao ridículo. Quando um individuo posta uma foto sensual na web está sujeito a receber criticas, ofensas e elogios, pois tudo que fazemos gira em torno da lei da causa e consequência. Meche com o conteúdo do inconsciente de cada um, podendo ser interpretado de forma sexista ou fetichista, uma imagem vale mais do que mil e poucas palavras, devemos nos atentar em qual imagem queremos transmitir, principalmente quando nos expomos. Já li muitos comentários em imagens de cosplayers que fazem atributo maior o corpo, e de como eles se irritavam, com argumentos de “Gostosa”, “Fiz Homenagem a você está noite”, “Eu casaria com fulano” e entre outros,  e o cosplayer acaba revidam a esse tipo de comentário, muitas vezes é negativamente. Essa imagem das duas cosplayers de Lara Croft me chamou muito a atenção essa semana, eu não sei quem fez o comentário, não acredito que a Lara mordendo os lábios seja Brasileira, e está imagem além de passar mensagem errada é Fake mas podemos pegar de exemplo em questão de respostas dadas. O corpo pode ser até seu, porém quando você divulga sua imagem ela não é mais sua e as pessoas podem fazer o que quiser com ela, queira ou não.



Cosplay Sexy acaba sendo referência principal para Costume Play
Uma boa parte das pessoas que não são do meio conhecem cosplay através de cosplayers que usam vestimentas curtas, as que acimas definimos como sexy e cosplay sexual, infelizmente ha generalização de que todos os cosplayers são assim é isso gera um desconforto para quem não gosta de se expor de tal maneira. O que quero dizer que o conceito de cosplay, meche com o conceito fantasioso, fetichista e sexista de outra parte das pessoas, gerando muitos equívocos de quem faz cosplay é apto de realizar as fantasias dos outros. Lembram quando mencionei sobre o corpo é seu mas sua imagem quando é postada na web não é mais sua? Então se relaciona a isso, você fica sujeito a tudo e a todos e com as fantasias internas. Me entristece muito o assedio que os cosplayers sofrem, por esse equivoco e aqui concordo que por muitas vezes são ideias Machista, nem todo cosplayer quer ser objetificado e sim reconhecido pela sua arte. Lembro um caso de uma conhecida minha que fizeram uma montagem dela para uma page no face de cosplay Hentai, ela d não concordou de forma alguma a associação de sua imagem,  so que um ser escroto pegou a imagem propositalmente com intuito fazendo de danificar a moral dela, foi algo muito entristecedor e covarde. Também quero ressaltar os assédios em eventos, onde aparecem pessoas que abraçam sem consentimento o cosplay, pegam em partes intimas, falam besteiras, tem cosplayer que pode gostar disso mas tem outros que odeiam, isso é generalizado. Poderia listar entre outros casos de assedio, vocês podem conhecer e tê-lo como referência ao que estou querendo dizer.





A Inveja fala mais alto do que a coragem de fazer um pesornagem Sensual
Pois é minha gente, há pessoas que não toleram que outras pessoas possam fazer um cosplay mostrando o corpo, porque nas cabecinhas delas se elas não podem, ou não tem coragem o outro também não podem fazer e justificam quem consegue fazer é cosputa (o), que está fazendo o cosplay para chamar atenção dos "escravocetas". Mas será que é realmente isso? Ou a pessoa gosta do personagem? Há pessoas que relatam que em alguns concursos há cosplayers que ganham pois usaram roupas com decotes apelativos ao ponto de chamar a atenção do Juri. Se isso realmente ocorrera a culpa não é do cosplayer, e sim, do corpo de jurados, que não teve discernimento na hora de avaliar os candidatos. Tem gente que cisma com numero de seguidores, likes em página e oportunidades que a pessoa conseguem quando se promove o corpo, infelizmente conteúdo com dose sensual tem mais visibilidade do que outros tipos, mas para que invejar quem consegue like? É a treva! Invista essa energia avassaladora da inveja em algo útil do que trazendo desarmonia. Se a pessoa tem um corpo bonito, gosta do que faz e se sente bem isso é o que mais tem importância. É se alguém xingou alguém em inbox para que levar treta? Deixa a máscara cair ou a pessoa ter uma segunda impressão da pessoa, é horrível trazer a tona desarmonia no meio, muito feio alias mostra o quão o seu carácter é horrível, pois você não quer bem de nenhuma das duas pessoas. Crie Harmonias s2




A Sutil diferença em Ofensa, Ofensor e Ofendido
Bom gente se alguém te chamou de cosputa, não temos necessidade de sair correndo e começar a fazer um drama, porque se você  não é algo que as pessoas te chamam não precisa dar importância. Para deixar um pouco mas nítido esse subtitulo gostaria que vocês pudessem entender o que acontece com as ofensas, a ofensa é tudo aquilo que serve para ser ofensivo, para ofender, fazer mal, o ofensor é aquele idiota, covarde que só tem a ofensa como arma é o ofendido é uma opção sua. Como assim uma opção? Porque é o seguinte, você que decide se vai agregar aquela crítica para o lado negativo ou positivo, aquela ofensa para o pessoal, a decisão é sua. Eu acho muito intrigante quando alguém se ofende e muito com algo ou com o cosputa(a), da a impressão que a carapuça serviu, que ela mesmo se considera pois tudo que nos incomoda existe um pouco de nós naquilo, todos os defeitos que vemos nos outros tem uma boa quantidade em nós. O que o ofensor quer é que você sinta ofendido, sua resposta é o que ele mais quer ver, pois é para ter um pouco da sua atenção e retrucar até pegar um deslize seu é começar desmoralizar em algo que você gosta de fazer ♥.



Eu não gosto, mas respeito.
Então gente, eu  não sou de bater palmas a pessoas que fazem cosplay vulgarizado e modificando de mais o personagem para transforma-lo me, não me trás inspiração e vejo com uma versão adaptativa erótica de um personagem. Eu gosto de me inspirar em cosplayer que consegue trazer a essência do personagem ao mundo real eu acho lindo isso. Mas respeito quem queira fazer, mas não vou bater palmas ou dar like, eu já fiz cosplay e já fui taxada de cosputa (cosplay da Ahri, pelo fato da personagem ser já sensual e da Rinoa) porém não dei importância e segui fazendo outros cosplays, pois por mais que você da importância a um fato mais ele se destaca. E minha gente, se quer falar mal, não vou censurar isso porque vocês são livres e crescidos para ter suas próprias conclusões, quem sou eu? Mas vou me desapontar se alguém for até a pessoa fazer xingamentos e fofocas, meça suas palavras parça, pois isso é falta de respeito. Vocês podem até não concorda, aceitar de como a pessoa faz hobby, o minimo que você pode ter é respeito.  Espero que vocês tenham gostado do post, quis colocar as diferenças das coisas e os equívocos que são gerado e generalizados, também quero reforçar algo, se você não é cosputa, não precisa se preocupar apenas faça o que te faz feliz isso é o mais importante em nossas vidas

Se você gostou do post ou gostaria de esclarecimentos sobre o tema deixe um comentário, vou ficar devendo a imagem de colaboração dos meus amigos, conhecidos e colegas que me ajudaram dando opinião.



4 comentários:

  1. Em primeiro lugar, parabéns pelo post, o tema é bem polêmico sim, mas é interessante ver alguns pontos nisso ai.

    Eventos de cosplay no Brasil trazem consigo uma carga cultural externa, diferente do nosso país e um dos maiores erros é o julgamento de que anime/mangás/jogos são uma forma de entretenimento voltado para crianças só pelo fato de serem desenhos e se esquecem de que é uma mídia que também possuem conteúdo adulto. Com isso eu acredito que dizer que um evento de anime é um local "família" seja um pouco exagerado, porque eu acredito que muitas pessoas (principalmente os mais velhos) se sentiriam agredidos naquele meio e nem estou falando da sexualização dos cosplays e sim de coisas como apologia ao demônio, violência exagerada e afins. Com isso, acho que cai um pouco por terra o conceito de "evento família".

    Não sei a quantas andam os eventos de anime no Brasil, mas não estou certo se a regulamentação pra eles é feita da maneira adequada. Idade para fazer cosplay, autorização, tipos de cosplays que podem ou não ser permitidos no evento nunca foram citados (ou pelo menos nunca ouvi) por parte dos organizadores, além disso há o fato que há boa parte dos animes que se volta mais pra parte sexual na história, criando assim personagens com uma forte inclinação ao erotismo. (Por exemplo a Mai Shiranui da série The King of Fighters). Usar o critério de que a pessoa faz um cosplay querendo chamar atenção expondo o corpo é motivo para taxá-la de cosputa? E se ela se fantasiasse como uma personagem que é originalmente assim?

    O juri em concursos de cosplay deixa claro quais são os pré requisitos que contam pontos na hora de avaliar uma apresentação? Se sim, eles são qualificados para exercer tal função? Possuem alguma formação teatral, conhecimento do personagem que esta sendo interpretado no palco e etc? Senão, essa falta de clareza na hora da avaliação realmente alimenta essa dúvida e o negativismo de um cosplayer que esta usando uma roupa mais "chamativa" pra ganhar votos.

    Cosplayers que vão a eventos de anime já estão expondo suas imagens, quer queiram ou não, pois não da pra saber qual é a intenção da pessoa que para pra pedir algumas fotos. Durante os eventos os cosplayers chegam a posar em qualquer lugar e nem sempre conseguem ficar livres de engraçadinhos e suas mãos bobas na hora, quem dirá na segurança e destino final das fotografias. Portanto reclamar do feedback ou de serem alvos de comentários de cunho sexual é querer sair na chuva e não se molhar. Eles sabem onde estão se metendo e que por mais errado que seja, serão alvos de todo tipo de crítica, seja positiva ou negativa, o ponto é saber se portar diante isso tudo. Se não aguenta, melhor não fazer.

    Pra finalizar, o nosso país tem como uma de suas maiores festa um "espetáculo" em que mulheres saem nuas desfilando na frente das câmeras. É triste ver que existe uma hipocrisia muito grande em nosso país onde pessoas apontam e julgam baseadas em conceitos "éticos" de certo e errado, mas não agem com imparcialidade. Já vi pessoas sendo verbalmente agressivas com cosplayers que apelavam pro lado sexual do personagem e que depois saiam aplaudindo de pé madrinhas de escola de samba praticamente nuas.

    Particularmente eu acho toda forma de cosplay bem bacana, seja aquele bem feito, aquele menos caprichado me faz querer adivinhar que personagem há ali ou ate mesmo os engraçadíssimos cospobres cheios de criatividade. Admiro igualmente os cosplays sensuais ou "cosputas" que realçam a beleza, charme e o físico dos personagens ali representados, desde que isso não extrapole os limites do bom senso e parta pra nudez, afinal sair em um evento só de toalha é apelar demais.

    ResponderExcluir
  2. Concordo com a Sazh em vários pontos que ela citou sobre essa questão.

    Também acho que a questão de "cosplay para evento de família" não cabe bem, porque a classificação etária dos eventos é algo que deve ser feita pela organização e isso quase nunca ocorre. Se não há uma regra ou indicação sobre vestimentas visando a "proteção" de crianças mais novas, e não vou entrar na questão sobre essa cultura de pudor sobre o corpo pra crianças, então não vejo como culpa do cosplayer ele usar um personagem que é naturalmente sensualizado. Ele está em um evento de quadrinhos, fazendo um cosplay de quadrinhos, sendo que não há limitação ou regulamentação de vestimentas que não sejam "nú, cosplay de toalha ou biquini". Como ele pode estar inadequado ao local?
    Acho que vale muito mais da organização estipular uma idade mínima de entrada do que limitar mais o tipo de cosplay dentro do evento, porque se pensarmos em quadrinhos americanos por exemplo, as personagens de collant seriam todas banidas das convenções, por exporem os bumbuns.Saias curtas ou bustiês poderiam ser uma limitação de roupas também, mas isso não ocorre na maioria esmagadora de eventos, mesmo quando há presença significativa de público infantil.
    Hoje os eventos tem um caráter muito diversificado para o público jovem e diria que é mais uma questão da família repensar se querem as crianças em um ambiente tão sensualizado como quadrinhos, games e mangás em geral, do que cosplayers repensarem sobre o público infantil do evento, em uma convenção de quadrinhos/mangá que não tem limitação de séries, com exceção do hentai e o público alvo não são crianças.
    A comercialização de ecchis/yaoi/yuri são permitidas dentro dos eventos e ninguém reclama sobre a exposição das crianças à esse material, então tem realmente lógica reclamar sobre cosplayers? Pra mim não.
    Se a ideia é proteção das crianças então deveria se limitar os tipo de séries e gêneros que podem ser comercializadas e reproduzidas dentro do evento, mas isso não ocorre por parte da organização, porque os eventos não são necessariamente um 'ambiente familiar'. O público alvo não são pai, mãe e crianças. São adolescentes e o público envolvido com jogos, quadrinhos americanos e mangás, é a faixa de 17 à 28 anos.
    Um evento de anime você vai ter séries de todo tipo, desde gore até erótico, não é bem um passeio no parque pra se levar seus filhos pequenos sem o menor risco de verem algo que você não gostaria .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E sobre a questão machista, é totalmente incoerente, claro, porque moralista é hipócrita. É só pensar que os homens tem tara por peitos, mas criticam mulheres cujo mamilo fica evidente na roupa, ou tem tara por bunda e reclamam de mulheres mostrando a bunda. Não seria mais fácil se eles não reclamassem, porque isso faria com que as mulheres usassem mais esse tipo de peça e seria de maior agrado masculino? Por que isso não acontece? É a mesma coisa com as "cosputas". São criticada por homens, mas são eles que compõem a maior parcela do público delas. Não tem explicação. Simplesmente não faz sentido e é assim que é. Moralismo não é lógico, machismo também não.
      A crítica das mulheres é muito parecida também. Algumas até gostariam de usar as roupas dessa forma mas criticam publicamente porque é o comportamento moral esperado. Outras até criticam pra tentar se diferenciar das que se expõem mais, na tentativa de criar uma imagem moralmente mais aceita. Eu acho desnecessário pelo motivo que você falou no final do texto. Não te afeta, não se incomode. Mas o corpo exposto do outro sempre afeta a nossa vida, cada um por seu motivo pessoal, e dependendo do motivo é o que leva a pessoa a ir criticar ou atacar a pessoa por inbox ou coisas assim. Machismo e preconceitos não são regidos por leis de pura lógica, é como pedir pra um homofóbico ou um intolerante religioso explicar seus motivos, nem todo mundo tem motivações lógicas sobre as coisas, acredito eu.

      E sobre o ponto de que cosplayers sensualizadas seriam motivadas por pontos extras em concursos: o que eu vi na minha experiência em organização de campeonatos, é que esse tipo de cosplayers na verdade PERDE pontos por parte dos jurados, porque os juízes quase nunca conseguem ser profissionais a ponto de separar sua opinião pré-formada na hora de julgar. Então personagens considerados "apelativos" geralmente recebem notas menores, porque o juiz considera que o/a cosplayer está tentar ganhar votos com o personagem mais sensualizado. Isso é particularmente uma coisa que me revolta bastante em campeonatos, porque você desconsidera muito da habilidade e talento da pessoa, por uma opinião sobre a escolha de cosplay dela.
      É como subestimar a capacidade intelectual de uma pessoa bonita só porque ela é bonita, ou de uma mulher só por ela ser mulher. O que importa é a performance dela no palco, não a escolha de personagem dela. Considero esse tipo de juiz completamente desqualificado pra campeonatos, e infelizmente são os mais comuns nos eventos. Rola tanto com juiz homem quanto com juíza.

      Precisei quebrar meu comentário em dois, porque seu blog não permite comentários muito longos por algum bug no código.

      Excluir
    2. Existe uma má interpretação no consciente popular de que "animação é coisa pra criança", por isso quando se vê algo mais explícito dentro dessa mídia costuma chocar, principalmente os pais. A desinformação cria esse obstáculo e acaba gerando uma imagem negativa em um ambiente desses quando na verdade é coerente com a proposta do evento. É claro, existem limites que devem ser respeitados, mas ainda sim as atenções se voltam apenas para o que é mais conveniente, deixando passar batido outros materiais polêmicos que também são expostos e comercializados livremente sem qualquer tipo de fiscalização.

      Quanto aos juízes, reforço o ponto de que eles deveriam ao menos demonstrar alguma especialização no assunto, tendo no mínimo um curso de interpretação no currículo. Credibilidade devia ser um fator crucial em um concurso de grande magnitude, se os juízes não tem, como se pode creditar no voto deles numa apresentação?

      Quanto ao machismo, não sei dizer o que realmente motiva as mulheres a criticarem cosplays sensualizados, mas os homens em sua maioria fazem isso não apenas com as cosplayers, mas com mulheres em ambientes nerds/geeks/otakus em geral. Muitas vezes são movidos pela frustração com sexo oposto na adolescência, período crucial para o desenvolvimento sexual da pessoa, isso acaba gerando um descontentamento enorme por não ter sido correspondido e ai criam a tarja de "puta, burra ou attention whore" para garotas que dividem o ambiente com eles. Vejo inúmeros exemplos dessa conduta pela internet afora e a maioria desses sujeitos possuem esse quadro de rejeição do sexo oposto na adolescência.

      Excluir